quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

SUPERSTIÇÕES E CRENDICES- SEGUNDA PARTE


AMULETOS: São objetos que as pessoas usam, para se prevenir contra o mal. Os mais conhecidos amuletos, alguns deles ainda hoje usados como adornos, para ressaltar a elegância das pessoas são: Figas, Pimentas( malagueta de preferência) Signos de Salomão(de que os cangaceiros abusavam em seus chapéus) Trevos de quatro folhas, pés de coelho e medalhas diversas, entre outros.

INVOCAÇÕES: São fórmulas ou orações diversas, pelas quais a pessoa busca alcançar uma graça almejada. Em eu livro CRENDICES, SUAS ORIGENS E CLASSIFICAÇÃO, Getúlio César apresenta alguns exemplos: Meu sagrado Santo Antônio faça com que eu me case esse ano - Meu bom Jesus, fazei com que minha dentadura fique firme- Minha nossa Senhora do Bom Parto fazei com que eu tenha trigêmeos...entre outros.

 TALISMÃS: Objetos mágicos. Com eles, o indivíduo alcança poderes sobrenaturais, capazes de mudar o seu destino, um dos mais famosos é o olho de Boto. De posse dele o homem consegue o amor de qualquer mulher. Esse, Um perigo para a natureza....No Rio Grande do Norte , Particularmente os meios rurais ainda encontramos coisas do tipo:  Bater em madeira três vezes afuguenta o azar; Quando se fala em doenças incuráveis, bate-se na boca e pronuncia-se três vezes: Ave maria, ave maria, ave maria; Vassoura virada, atrás de uma porta, afuguenta pessoas inoportunas......
                  Por hoje é só... Bye !
                                                Israel Vianney

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

SUPERSTIÇÕES E CRENDICES . PRIMEIRA PARTE


As superstições acompanham o homem desde a mais remota antiguidade. Pode-se  dizer que elas nasceram com o homem primitivo.
 Na sua ignorância e perplexidade, diante dos fenômenos naturais, (relâmpago, Trovão, terremoto, erupção vulcânica), os nossos remotos ancestrais atribuíam sua existência a seres sobrenaturais, que os controlavam e usavam a seu bel prazer. Nem mesmo os sábios gregos fugiram a essa regra. Para exorcizar esses poderes e fugir a sua ação nefasta, aplacando a fúria dos Deuses, os homens primitivos ofereciam-lhes  presentes e sacrifícios, que iam até a imolação de vidas humanas.
 As superstições se manifestam das mais diversas formas: Invocações, Esconjuros, Atos variados, Objetos benéficos e maléficos.
 Hoje vamos comentar sobre os ESCONJUROS: São orações poderosas, pelas quais a pessoa exorciza para longe um poder maléfico que o ameaça. Os mais famosos esconjuros eram conduzidos pelos cangaceiros, como este: " Na travessia avistei meus inimigos,, meu Deus que faço com eles? Com o manto da virgem Maria sou coberto e com o sangue do meu senhor Jesus Cristo sou valido. Se tem vontade de atirar, porém, não atira, água pelo cano da espingarda correrá,se tiver vontade de me furar, a faca da mão cairá, se me amarrarem, os nós desatarão e se me trancar, as portas se abrirão".

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

VAQUEJADAS : ORIGEM E ATUALIDADE

 

   Primitivamente a vaquejada acontecia durante a apartação. Essa prática  realizava-se  na estação do inverno, numa fazenda, onde se reuniam fazendeiros e vaqueiros, para os trabalhos de campo.
 O gado criado solto, nos campos indivisos, periodicamente era reunido, para que o dono de cada rebanho "assinalasse" (Marcasse com ferro em brasa) o seu  monograma e beneficiasse (castrasse) os animais que iriam enriquecer a sua criação.
      Era a oportunidade também, de pagar aos vaqueiros, destinando-lhes uma pequena porcentagem do rebanho. Depois disso, os animais eram soltos, novamente no pasto.
Antes , porém , aproveitando-se o reencontro de tantos amigos, separados por léguas de distância e isolamento,promoviam-se alegres festividades, cujo ponto alto era a vaquejada, oportunidade para  que os valentes vaqueiros mostrassem sua destreza e seu arrojo, perseguindo e derrubando valentes barbatões. E o prêmio além do reconhecimento do publico presente a derrubada dos bois, era a exaltação de suas façanhas, na voz roufenha dos repentistas, sob o acompanhamento de violas ou rebecas.
       Modernamente, a vaquejada passou por profundas modificações. Deixou de ser uma prática rural, espontânea realizada por simples prazer, par se transformar num esporte urbano, promovido com fins lucrativos,obedecendo a regras e calendários. Os corredores concorrem a prêmios valiosíssimos e, muitas vezes, viajam a Estados distantes, para participarem dos torneios.   
      Em pau dos Ferros o pioneiro em profissionalização da vaquejada foi o Médico e Fazendeiro Nelsom Benicio Maia em parceria com seu fiel escudeiro José Lopes, mais conhecido como Zé de Ana, na Fazenda Arizona, no inicio dos anos 1970.
      Com o tempo passou a se localizar às margens da BR 405, defronte aonde hoje se localiza o clube Reencontro dos Amigos, lá ficou por quase duas décadas.
     Atualmente o Parque voltou ao lugar de origem, graças aos descendentes de Zé de Ana, principalmente Everaldo e Ricardo. Os dois citados são campeões em varias Regiões do País.   

                                       Israel vianney

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Os ciclos Festivos - Dança de São Gonçalo


São Gonçalo è uma dança votiva, realizada em pagamento de promessas ou apresentada no dia em que se comemora a festa do santo, 10 de janeiro. Duas alas de dançadeiras, encabeçadas por dois guias o primeiro tocante viola e o segundo, um pequeno tambor, apresentam se diante de um altar, onde se encontra a imagem de São Gonçalo e ai dançam doze jornadas, das quais a 12a. tradicionalmente pertence ao promotor da festa, em cuja casa se realiza a função, o qual puxa as estrofes dessa jornada, enquanto os dançarinos executam as diversas figurações e respondem em coro aos versos cantados. Atualmente, sabemos da existência de dois grupos de São Gonçalo, no Oeste potiguar, nas cidades de Portalegre e São Miguel, ambas na zona serrana. O grupo de Portalegre deve ser o mais tradicional dos dois. Seus integrantes distribuem-se pelos "pêgas", "Arrojado"e "São Domingos". Seus componentes são de cor negra, o que dá  um realce especial aos vestidos brancos das dançarinas, enfeitadas com fitas trespassadas nos ombros, caindo para cintura e outros, pregadas nas saias, em forma de laço. As fitas são de cores vermelha e azul, tradicionais no folclore nordestino.
Algumas das figurações recebem os seguintes nomes: " Trancelim", " Trancelim de cruz", Tancelim de quatro", "Meia volta", " Meia volta" e "Dança da cobrinha". A dança de São Gonçalo é das mais antigas no estado. Numa entrevista há alguns anos, Melquíades Bessa, à época com 78 anos, informou-nos que seu bisavô já dançava o São Gonçalo, o que representa um período de 150 anos de existência, para essa manifestação  folclórica. Atualmente a coisa se desvirtuou um pouco, pois os octogenários já se foram todos e a parcela dos mais jovens não está levando a tradição adiante, já há muitas mudanças visíveis.
 LAMENTÁVEL !!
                       Israel Vianney


,

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

PERFIL ZÉ BENTEVI


 
 Nascido em SãoMiguel a 21.12.1936, José Ferreira de Lima logo tornou-se conhecido como "Zé Bentevi". A explicação para o apelido, segundo ele, foi herdado do bisavô e veio acompanhando os descendentes e nele estacionou.
Filho de pais agricultores que usavam  as terras da igreja, ou terra do santo como era chamado. Para o cultivo de cereais. Assim pagavam com o lucro obtido, uma espécie de foro anual ou arrendamento.
Mas a vida na roça nunca agradou muito o rapaz micaelense, o mesmo vendeu pirulito e engraxou muito sapato, superando as diárias que ganhava no roçado. Desde que descobriu esses maçetes nunca mais faltou dinheiro no seu bolso.
   Inquieto, foi morar no Pará, onde passou 07 anos. Nesse interim serviu à marinha no 4º distrito Naval de Belém. É dessa época uma das fotos mais bonitas que ele guarda com muito carinho. Também no Pará trabalhou como garçom numa boate, onde eram comuns as brigas entre mulheres bêbadas, homens ciumentos, etc. Numa bela noite, após o trabalho puxado ao chegar ao quarto onde dormia ( nas dependências da boate ) encontrou duas putas bêbadas dormindo na sua cama... o final da história ele não me contou.
   De volta à São Miguel aos 26 anos, conheceu, namorou e casou com a Srtª Francisdélia Fernandes em 1962.
   Da união, nasceram 04 filhaos, um deles natimorto.
Montou uma mercearia o centro de São Miguel, algum tempo depois mudou-se para Jaguaribe e com o comèrcio fraco, voltou à terra natal novamente. Dessa vez montou um restaurante, graças aos Dotes culinários da companheira Francisdelia.
Um certo dia, um senhor que vendia apostas do jogo do bicho, conhecido por Gonzaga incentivou-o a mudar-se para Pau dos Ferros pois o comércio era melhor e ele teria mais oportunidades financeiras. E Bentevi aceitou o conselho.
   Chegando a Pau dos Ferros instalou-se num ponto privilegiado: Um sobrado localizado na rua 7 de setembro. Comerciava em baixo e morava em cima num sótão forrado de madeira.
   Logo o paladar da sopa, do cachorro quente, e da farofa de fígado tomaram conta da cidade. Aliado a isso fez uma parceria com o Sr. Eliondas que fazia a linha SãoMiguel / Pau dos Ferros e vice-versa.
   E o homem subiu... negociou no mesmo lugar por 40 anos. Presenciou muitos episódios engraçados e tinha como clientes as maiores autoridades da cidade. Negociou por 40 anos no mesmo ponto comercial.
   Hoje, mora em São Paulo ao lado da filha Elcânia ( por sinal todos os filhos são lindos) e no final da entrevista perguntei-lhe: O que fez em São Paulo? De manhã não faço nada e a tarde desmancho o que fiz de manhã. Esse é o Zé Bentevi que eu conheço. 
 Israel Vianney

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

FESTIVAL DE DANÇA E GINÁSTICA NO IFRN- ESTRÉIA DO DANCART EM 2015


Hoje a CIA DANCART marcará o início de seus trabalhos em 2015, participando do FESTIVAL DE DANÇA E GINÁSTICA do IFRN. O evento terá início às 19 hs.  Uma ótima opção para essa quarta feira, principalmente numa cidade desprovida de programações culturais atraentes. Estarei lá!!
                  Israel Vianney

Milagre no Perímetro Irrigado de Pau dos Ferros/RN


Na tarde de hoje 03/02/15, a população de um  vilarejo de Pau dos Ferros passaram por um grade susto quando a capela de São Pedro desabou, o fato ocorreu quando três moradores estavam retelhando a Capela, e o teto começou a desabar por DEUS os homens tiveram apenas pequenas escoriações um verdadeiro milagre.
De vez enquanto acontece esses acidentes com prédios que não passam por reformas, o ideal seria que o órgão fiscalizador tomasse providencias nesta esfera, para que não venha mais acontecer esses acidentes absurdos.