03

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

HISTÓRIAS QUE O POVO CONTA I

              O pau-ferrense que já passou dos 40 anos  ainda é apegado às tradições populares, cujas manifestações refletem as mais puras e autênticas vertentes afetivas e sentimentais da alma do povo.
         Algumas histórias contadas pelo povo acabam se tornando parte do folclore local. Hoje relembraremos algumas delas, lendas ou não.
 - Dizem que quando havia "a torre" - local famoso, misto de bar e motel ao ar livre - um conhecido casal da cidade ficava perambulando entre os carros dos casais que namoravam, para identificá-los e espalhar fofoca no dia seguinte.
- Entre os anos 1970 e meados de 1980 as "moças" que ousassem namorar no Obelisco ficavam "faladas" e eram pejorativamente chamadas "fuleiras".
- Vez por outra surgiam histórias de Papa-Figo (um ser de orelhas grandes que comia o fígado das crianças para melhorar a deformação) e muitos nomes conhecidos da cidade foram apontados como tais. Vocês lembram???
- Havia um senhor com distúrbios psiquiátricos conhecido como "Chico Doido". Dizem que quando ele morreu seu túmulo ficou perfumado por muitos ano. Uiiii!!!
             Se você leitor lembra de algumas histórias semelhantes, envie um e-mail para israelvianney@yahoo.com.br que nós publicaremos com o maior prazer.

CATÓLICOS QUE VERGONHA !!!


               A festa de Nossa Senhora das Graças que acontece na Capela do Patronato, já quase em seus últimos dias bate recorde de AUSÊNCIA de devotos .
             Não sei se por pouca divulgação , ou por estar longe do centro da cidade, as novenas acontecem com um número mínimo de pessoas. Os beatos e beatas que adoram aparecer no patamar da matriz andam longe de colaborar com as freiras.
                    Fogos de artifício? Nem pensar... Mas se fosse uma festa de política....
                    Só lembrando: hoje é a última noite de novena e amanhã acontecerá a procissão.
                     A quem interessar  passe.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

VANGUARDA NA ACADEMIA

                   Foi durante uma suspeita de tuberculose que Rachel de Queiroz, com apenas 20 anos, escreveu O Quinze, considerado uma das obras inaugurais do romance regionalista brasileiro. Com uma trajetória marcada pelo pionerismo, a escritora rompeu uma tradição de 81 anos da Academia Brasileira de Letras (ABL). Em 4 de novembro de 1977, ela fez com que a imortalidade deixasse de ser exclusivamente masculina ao ocupar a cadeira número 5, fundada por Raimundo Correia e que tem como patrono Bernardo Guimarães.
          A escritora cearense, cujo centenário comemorado este mês, se destacou em outros espaços dominados pela presença masculina, como redações de jornais e partidos políticos. Rachel de Queiroz militou por um curto período no Partido comunista Brasileiro, na década de 1930, além de ter participado da campanha que levou à queda de Getúlio Vargas e na organização do golpe de 1964.
          Morreu em 2003, aos 92 anos, no Rio e Janeiro, também no dia 4 de novembro. Segundo sua irmã, Maria Luiza, com quem escreveu um livro de memórias, Rachel faleceu durante o sono. Disse irmã: "Foi melhor assim, porque ela não sofreu. Ontem mesmo perguntei como ela estava, e ela respondeu que só não estava melhor porque não estava no Ceará".

terça-feira, 23 de novembro de 2010

ONDE ESTÃO ELAS???


                  Ainda na seção "Minhas memórias" queria lembrar de algumas cantoras que marcaram época. Bombaram, como dizemos no linguajar moderno, e como que por encanto sumiram.
      Na era DISCO apareceram muitas celebridades instantâneas e a moda era era ter nome estrangeiro, ostentar muito brilho, meias lunex, atitude desbocada e por aí vai.
           Entre 1977 e 1980 as mais mais eram: Elisângela, Miss Lene, Sara, Bianca (o que me importa, se eu tenho pouca idade...) entre os nacionais, e as Divas Tina Charles, Glória Gaynor, Dee D. Jackson e Diana Ross.
            Hoje é possível encontrar em boas coletâneas FLASHBACK e, falem a verdade, quem não gosta de requebrar o esqueleto ao som das vozes acima citadas???


EDUCAÇÃO INCLUSIVA

            A Educação Inclusiva é hoje o debate mais presente na educação do país, nunca antes foi tão discutido o princípio constitucional de igualdade de condições de acesso e permanência na escola. Considerando os princípios da educação inclusiva de direito de todos à educação e atenção a diversidade, foi implantado pelo MEC o Programa Educação Inclusiva: Direito à Diversidade. O município de Pau dos ferros aderiu ao programa como municipio-pólo, atuando como multiplicador da formação de gestores e educadores para a transformação do sistema educacional em sistema educacional inclusivo. Desde o ano de  2004, o município reúne profissionais de várias redes de ensino com o objetivo de disseminar as políticas públicas inclusivas e orientar a implantação de uma sistemática de ação inclusiva para 33 municípios de sua ambrangência, que tiveram como ponto de partida os seminários de formação para gestores e educadores, que ajudaram na refexão, nos esclarecimntos e nas possibilidades de implementação de redes de ensino inclusivas.
       Assim sendo, as redes de ensino que participa do Programa, têm claro que uma das ações a serem implementadas em suas políticas educacionais é oatendimento educacional especializado - AEE
           O êxito do trabalho justifica-se pela implantação de salas multifuncionais que servem de apoio à inclusão educacional nesses municípios de abrangência, como também no município de Pau dos Ferros, com uma significativa matrícula de alunos com necessidades especiais, sendo 23 alunos da rede municipal e de 36 da rede estadual, totalizando 59 alunos atendidos dentre os ensinos infantil, fundamental e médio, conforme o Censo Escolar 2010.
      Atualmente, percebemos que as escolas estão mais "abertas" à inclusão, diminuindo a cada dia o discurso de "não estar preparada", pois já compreendeu que é preciso primeiro acolher, e a partir daí buscar a superação dos desafios.
          É com o desejo de continuar nessa caminhada que cremos que Pau dos ferros continuará investindo em programas de formação continuada, sediando novos encontros, com outras discursões e reflexões a respeito da realidade educacional no atendimento a diversidade em escolas regulares do nosso município e dos municípios de abrangência. Estas participações poderão traduzir-se em ações que permitirão um acompanhamento educacional que garanta o acesso, a permanência e a qualidade da educação oferecida às crianças, jovens e adultos excluídos dos processos de aprendizagem.

                                                      Escrito por: Marnilce Lopes
       

HOTEL DE LAÍS: CHEGADAS E DESPEDIDAS

            Quando em Pau dos Ferros não havia rodoviária ( e hoje existe???) o local onde aconteciam as chegadas e partidas de ônibus era defronte ao hotel de Laís - Rua da Independência, onde hoje é a pousada do Sr. Assis Nunes -  Um casarão elegante com pés de Flayboyant na frente. D. Laís era uma srª muito bonita e educada, estava sempre com um sorriso no rosto. outros pontos próximos ao hotel eram a churrascaria "A Gauchita" do sr. Erasmo e o quiosque de seu Dedé Jacó, onde era possível fazer um lanche, tomar uma sopa e até uma "bicadinha de cana".
        Muitas emoções aconteceram naquele pedacinho da cidade, pessoas que partiam... E assim foi por muitos anos, até que fizeram aquele "barraco" que chamamos de rodoviária.
           Melhor que tivesse permanecido "A torre", seria bem mais interessante... Mas a torre é uma outra história...
   

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

FILANTROPIA DESVIRTUADA


                    Falem o que quiser dos americanos, mas sempre foram e são solidários com os povos subdesenvolvidos, mesmo que para encobrir ou amenizar determinados "abusos" ou "arbitrariedades" praticadas por eles.
                   Hoje me veio à mente uma história conhecida por muitos de vocês leitores, mas que anda um pouco adormecida e precisa ser perpetuada.
             Nas décadas de 1970 e 1980 os E.U.A destinavam a algumas cidades do interior do nordeste  alguns beneficios de forma filantrópica  (na época, nem sabíamos o que era filantropia). Nesse pacote vinham gabinetes odontológicos, alimentos enlatados e pré-cozidos, material escolar e de higiene bucal e corporal, roupas( esse item era o mais cobiçado)  e cursos profissionalizantes de datilografia, bordado, pintura em tecidos entre outros.
    Uma coisa que os Ianques talvez nunca souberam é que, ao chegar ao destino final, essas doações eram comercializadas e diz a lenda que os ricos da cidade sempre tinham acesso em primeira mão às melhores peças de roupas, diferentemente do povão que pegava só as sobras.
      Na época eu estudava no 4 de Setembro e ficava louco pelas lindas camisas de frio, as calças Lee, o creme dental colorido e as borrachas de apagar imensas... tudo com a marca " made in USA".
Vocês lembram disso? Comentem!

VOCÊ LEMBRA ?


  •  Da sangria do açude 25 de março? Era a nossa Copacabana...
  •  Das radiolas em forma de móvel? Chiquérrimas.   
  • Das enchentes que tomavam conta do centro da cidade?
  • Do parque instalado na rua Pedro Velho?
  • Da fila que se formava na roda gigante?
  • Das músicas com dedicatória de amor e ódio colocadas na difusora do parque de diversões?
  • Das tertulias nas residências boêmias?
  • Da falta de energia elétrica constante?
  • Do "recanto bar", onde hoje é a Central do Cidadão?
                                                LEMBRA???             

JUSTIÇA NA PRAÇA


                   Quase sem palavras para descrever o sucesso do Projeto Justiça na Praça. Pau dos Ferros mais uma vez bateu o recorde de público e de atendimento.
                Começamos a programação com um aquecimento cultural na sexta feira com o encontro regional de bandas marciais.
               No sábado a programação começou por volta das 8h30m  da manhã e foi até as 20h. Tudo ocorreu como manda o figurino de um evento bem sucedido.
            Além do empenho da prefeitura e de todas as secretarias, vale salientar o extraordinário desempenho de Emília Suzana e a equipe do SEMJHAS. Perfeito!!!


quinta-feira, 18 de novembro de 2010

COMUNICADO

Comunicamos à população que o município de Pau dos Ferros em parceria com o MEC oferecerá a partir do início de 2011 o Programa “ Mais Educação”. O referido programa atenderá em tempo integral a uma grande parcela de alunos da rede municipal de ensino a partir do financiamento de atividades de acompanhamento pedagógico, educação ambiental, esporte e lazer, cultura e artes, promoção da saúde, inclusão digital, entre outros.
Dessa forma o nosso aluno terá uma carga horária  de 8 horas diárias na escola com vários benefícios incluindo refeições necessárias à essa permanência.
As escolas contempladas em Pau dos ferros são:
Ø Escola Municipal Francisco Torquato do Rêgo
Ø Escola Municipal Prof. Severino Berzerra
Ø Escola Municipal Profª Nila Rêgo
Ø Escola Municipal São Benedito
Os interessados em dar uma boa educação ao seu filho, devem procurar as escolas citadas ou a Secretaria Municipal de Educação.


FRANCISCA DANTAS DE LIMA COSTA
Secretária Municipal de Educação

LEANDRO CONSEGUIU!!!



                 Como haviamos previsto, Leandro Valdez deixou a sua marca registrada no Rio de Janeiro . Em apenas 15 dias conseguiu a façanha de ser recebido no PROJAC por Ana Maria Braga, Benedito Ruy Barbosa, Luciano Huck e vários outros globais que foram presenteados com obras suas.
           Agora o céu é o limite!!!
           Parabéns querido!!! 
PS:
Quem quiser encomendar um retrato a Leandro pode agendar pelo fone: (84) 8735-9938 ou dirigir-se ao ATELIÊ, vizinho ao antigo Arreios de Prata.


















Calem a boca, Nordestinos!

                 
A eleição de Dilma Rousseff trouxe à tona, entre muitas outras coisas, o que há de pior no Brasil em relação aos preconceitos. Sejam eles religiosos, partidários, regionais, foram lançados à luz de maneira violenta, sádica e contraditória.
Já escrevi sobre os preconceitos religiosos em outros textos e a cada dia me envergonho mais do povo que se diz evangélico (do qual faço parte) e dos pilantras profissionais de púlpito, como Silas Malafaia, Renê Terra Nova e outros, que se venderam de forma absurda aos seus candidatos. E que fique bem claro: não os cito por terem apoiado o Serra… outros pastores se venderam vergonhosamente para apoiarem a candidata petista. A luta pelo poder ainda é a maior no meio do baixo-evangelicismo brasileiro.
Mas o que me motivou a escrever este texto foi a celeuma causada na internet, que extrapolou a rede mundial de computadores, pelas declarações da paulista, estudante de Direito, Mayara Petruso, alavancada por uma declaração no twitter: “Nordestino não é gente. Faça um favor a SP, mate um nordestino afogado!”.
Infelizmente, Mayara não foi a única. Vários outros “brasileiros” também passaram a agredir os nordestinos, revoltados com o resultado final das eleições, que elegeu a primeira mulher presidentE ou presidentA (sim, fui corrigido por muitos e convencido pelos “amigos” Houaiss e Aurélio) do nosso país.
E fiquei a pensar nas verdades ditas por estes jovens, tão emocionados em suas declarações contra os nordestinos. Eles têm razão!
Os nordestinos devem ficar quietos! Cale a boca, povo do Nordeste!
Que coisas boas vocês têm pra oferecer ao resto do país?
Ou vocês pensam que são os bons só porque deram à literatura brasileira nomes como o do alagoano Graciliano Ramos, dos paraibanos José Lins do Rego e Ariano Suassuna, dos pernambucanos João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira, ou então dos cearenses José de Alencar e a maravilhosa Rachel de Queiroz?
Só porque o Maranhão nos deu Gonçalves Dias, Aluisio Azevedo, Arthur Azevedo, Ferreira Gullar, José Louzeiro e Josué Montello, e o Ceará nos presenteou com José de Alencar e Patativa do Assaré e a Bahia em seus encantos nos deu como herança Jorge Amado, vocês pensam que podem tudo?
Isso sem falar no humor brasileiro, de quem sugamos de vocês os talentos do genial  Chico Anysio, do eterno trapalhão Renato Aragão, de Tom Cavalcante e até mesmo do palhaço Tiririca, que foi eleito o deputado federal mais votado pelos… pasmem… PAULISTAS!!!
E já que está na moda o cinema brasileiro, ainda poderia falar de atores como os cearenses José Wilker, Luiza Tomé, Milton Moraes e Emiliano Queiróz, o inesquecível Dirceu Borboleta, ou ainda do paraibano José Dumont ou de Marco Nanini, pernambucano.
Ah! E ainda os baianos Lázaro Ramos e Wagner Moura, que será eternizado pelo “carioca” Capitão Nascimento, de Tropa de Elite, 1 e 2.
Música? Não, vocês nordestinos não poderiam ter coisa boa a nos oferecer, povo analfabeto e sem cultura…
Ou pensam que teremos que aceitar vocês por causa da aterradora simplicidade e majestade de Luiz Gonzaga, o rei do baião? Ou das lindas canções de Nando Cordel e dos seus conterrâneos pernambucanos Alceu Valença, Dominguinhos, Geraldo Azevedo e Lenine? Isso sem falar nos paraibanos Zé e Elba Ramalho e do cearense Fagner…
E Não poderia deixar de lembrar também da genial família Caymmi e suas melofias doces e baianas a embalar dias e noites repletas de poesia…
Ah! Nordestinos…
Além de tudo isso, vocês ainda resistiram à escravatura? E foi daí que nasceu o mais famoso quilombo, símbolo da resistência dos negros á força opressora do branco que sabe o que é melhor para o nosso país? Por que vocês foram nos dar Zumbi dos Palmares? Só para marcar mais um ponto na sofrida e linda história do seu povo?
Um conselho, pobres nordestinos. Vocês deveriam aprender conosco, povo civilizado do sul e sudeste do Brasil. Nós, sim, temos coisas boas a lhes ensinar.
Por que não aprendem conosco os batidões do funk carioca? Deveriam aprender e ver as suas meninas dançarem até o chão, sendo carinhosamente chamadas de “cachorras”. Além disso, deveriam aprender também muito da poesia estética e musical de Tati Quebra-Barraco, Latino e Kelly Key. Sim, porque melhor que a asa branca bater asas e voar, é ter festa no apê e rolar bundalelê!
Por que não aprendem do pagode gostoso de Netinho de Paula? E ainda poderiam levar suas meninas para “um dia de princesa” (se não apanharem no caminho)! Ou então o rock melódico e poético de Supla! Vocês adorariam!!!
Mas se não quiserem, podemos pedir ao pessoal aqui do lado, do Mato Grosso do Sul, que lhes exporte o sertanejo universitário… coisa da melhor qualidade!
Ah! E sem falar numa coisa que vocês tem que aprender conosco, povo civilizado, branco e intelectualizado: explorar bem o trabalho infantil! Vocês não sabem, mas na verdade não está em jogo se é ou não trabalho infantil (isso pouco vale pra justiça), o que importa mesmo é o QUANTO esse trabalho infantil vai render. Ou vocês não perceberam ainda que suas crianças não podem trabalhar nas plantações, nas roças, etc. porque isso as afasta da escola e é um trabalho horroroso e sujo, mas na verdade, é porque ganha pouco. Bom mesmo é a menina deixar de estudar pra ser modelo e sustentar os pais, ou ser atriz mirim ou cantora e ter a sua vida totalmente modificada, mesmo que não tenha estrutura psicológica pra isso… mas o que importa mesmo é que vão encher o bolso e nunca precisarão de Bolsa-família, daí, é fácil criticar quem precisa!
Minha mensagem então é essa: – Calem a boca, nordestinos!
Calem a boca, porque vocês não precisam se rebaixar e tentar responder a tantos absurdos de gente que não entende o que é, mesmo sendo abandonado por tantos anos pelo próprio país, vocês tirarem tanta beleza e poesia das mãos calejadas e das peles ressecadas de sol a sol.
Calem a boca, e deixem quem não tem nada pra dizer jogar suas palavras ao vento. Não deixem que isso os tire de sua posição majestosa na construção desse povo maravilhoso, de tantas cores, sotaques, religiões e gentes.
Calem a boca, porque a história desse país responderá por si mesma a importância e a contribuição que vocês nos legaram, seja na literatura, na música, nas artes cênicas ou em quaisquer situações em que a força do seu povo falou mais alto e fez valer a máxima do escritor: “O sertanejo é, antes de tudo, um forte!”
Que o Deus de todos os povos, raças, tribos e nações, os abençoe, queridos irmãos nordestinos!

                                                                                                                   (Por José Barbosa Junior) 

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

TALENTO A TODA PROVA

           Grande expectativa para o lançamento do Novo cd da querida Diná Mendes. O trabalho intitulado "Não desista", vai agradar em cheio muita gente, mesmo os não evangélicos.
       Estamos preparando com muito carinho uma grande festa para apresentação do repertório. Quase todas as músicas são da própria Diná, além de uma composição de Armando Filho.
        Os contatos para show são (84) 9929-1078/8891-8777 e 9954-4556.
         Vale cada centavo pago
                         Eu recomendo!!!

SER OU NÃO SER: EIS A QUESTÃO


Sempre que um país tem um novo governante passa a viver um novo tempo. O Brasil do momento está se perguntando.Como será esse novo tempo?
Se o Brasil fosse uma empresa e a contratação do diretor-presidente estivesse em suas mãos, você contrataria Dilma Roussef?
A Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI, da UNESCO, definiu para educação um conjunto de aprenderes: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e enfim, aprender a ser. O primeiro deles refere-se a saberes codificados, ou seja, aquilo que podemos encontrar nos livros e em geral é passado pelos professores nas salas de aula. É interresante como as pessoas relacionam a educação apenas com essa prática. Porém, há muito mais que isso!
O aprender a fazer está ligado ao desenvolvimento de habilidades e competências, sem as quais o conhecer perde o sentido. O aprender a conviver refere-se  ao desenvolvimento do espírito de socialização e da capacidade de comunicação, o que é fundamental para saber que tudo depende de parcerias. O aprender a ser está relacionado ao respeito, a moral e a ética o que realmente complementa a  moral de uma pessoa. Estes três últimos aprenderes, podem ser recebidos na escola, mas, certamente, são tão ou mais recebidos fora dela. Essa reflexão tem como objetivo enteder alguns fatos intrigrantes como: o fracasso pessoal de algumas pessoas estudadas e o sucesso às vezes espetacular de pessoas que não estudaram como é o caso do ainda presidente Lula. O sucesso de Lula iletrado, não significa para o país nesses oito anos a desimportância do estudo, mas sim a importância das qualidades pessoais. (COMO SERÃO AS DE DILMA ROUSSEF HEIM?!)
As vezes, surge uma pessoa à qual não escapa nada ou quase nada do que acontece no seu tempo. Uma dessas pessoas foi Aristóteles, na Grécia do século IV a.c. Duas obras desse grande filósofo nos ajudam a referendar essa reflexão: Ética a Nicômaco e a política. Na primeira ele faz referência aos princípios da educação segundo seu ponto de vista  e na segunda sobre a relação do homem com a sociedade. Há uma profunda relação entre essas duas obras. Segundo Aristóteles o homem é um animal político e também um animal que aprende. Ser político é desenvolver a capacidade de viver em sociedade. Aqueles que possuem essa qualidade de forma mais acentuada estão autorizados a ocupar cargos de liderança. É o caso de um Presidente da República. E a comunidade ou digamos melhor a sociedade é capaz de aferir essa capacidade. E aí está a GRANDE diferença entre contratar e eleger. Contratamos objetivamente e elegemos subjetivamente. Dilma talvez não fosse contratada, mas a danada foi eleita
 e aí?
  


Aristóteles ainda diz que quando nascemos, os costumes se apoderam de nós e nos acompanham por toda a vida. Os que transcedem estarão automaticamente autorizados a falar em nome das pessoas. Esses,  nós denominamos de líderes, afirma também, que tudo o que aprendemos deriva do ensino (akouontes) ou da experiência (ethzomenoi), o então e ainda presidente, está nesse segundo grupo e o fez com louvor. Quando o Brasil o elegeu o fez porque percebeu nele um conjunto de vontades, que foram: a de liderar, a de beneficiar os outros e principalmente  a  de  superar-se. Tudo isso acompanhando de um carisma que é dele por natureza.
Temos que ser justos com nossas percepções e esperanças. E é por isso que questionamos as qualidades daquela que a maioria dos brasileiros escolheu para liderar esse país rumo a um destino melhor.
Lula é um exemplo para a juventude, mas seria ainda melhor exemplo se tivesse estudado. Por mais que acusemos as escolas de estarem preocupadas apenas em passar conteúdos, não podemos deixar de reconhecer que vamos treinando nosso cérebro para lidar com as complexidades. Aprendemos lógica por meio de matemática, linguagem por meio da língua portuguesa e do idioma estrangeiro, aprendemos sem saber porque, a lidar com a dedução de idéias por meio do ensino de ciências. Isso ajuda a viver a vida. Esse é realmete um valor agregado a escola.
Enquanto Lula foi brilhante como mostra sua biografia, imagino que também teria passado com brilho pela vida acadêmica, pois aprendeu a conviver, a fazer e a ser. Agora a sua sucessora Dilma Roussef vai ter que demonstrar que não só passou pelos bancos escolares em grande estilo, mas, principalmente, que os aprenderes educativos vão fazer parte de sua trajetória como líder nacional escolhida democraticamente. Mas isso só saberemos mais tarde, ou seja em um artigo escrito daqui há uns 4 anos.


Alexandrina Maria da Silva
Profª Especialista em Educação
    

CHÁ SOCIAL


R E L I S E:
 
DE: LISBOA BATISTA
 
PARA: COLUNISTAS, JORNALISTAS, SITES, BLOGS, JORNAIS E RÁDIOS.
 
EVENTO: CHÁ SOCIAL – ANO V
                   (Em benefício do Patronato “Alfredo Fernandes”)
*O que é o Patronato? É uma entidade filantrópica de cunho educacional/religioso, dirigido pelas Irmãs Vicentinas em Pau dos Ferros há mais de 60 anos. É mantida no local uma escola de ensino fundamental, os grupos de jovens e uma capela com ensino religioso às crianças).    
 
ORGANIZAÇÃO: Lisboa Batista – Colunista do Jornal de Fato
 
DATA: 12 DE DEZEMBRO DE 2010 –  Domingo
HORA: 17: 15hmin
LOCAL: Sede do Patronato em Pau dos Ferros.
 
MÚSICA: Trio Akústiko
BUFFET – Kandice Buffet
DECORAÇÃO: Evandro Lopes Decorações
EXPOSIÇÃO DE ARTES: Artista Plástico Emanuel Ferreira
Apresentação artístico-cultural – Grupo DANÇARTE (pertencente à Secretaria Municipal da Juventude e Assistência Social).
 
INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR: Na ocasião vamos cortar o bôlo celebrativo do meu aniversário (13 de dezembro) e dos 08 anos de coluna diária no Jornal de Fato (14 de dezembro).
 
                Somos antecipadamente gratos pela atenção na divulgação. Esteja convidado desde já, em breve encaminharemos o convite oficial e esperamos contar com sua presença. OBRIGADO!
                                                                         LISBOA BATISTA
 
 

terça-feira, 16 de novembro de 2010

ENCONTRO DE BANDAS MARCIAIS


                  Sexta-feira dia 19 na Praça de Eventos Nossa Senhora da Conceição acontecera o 1º Encontro regional de Bandas Marciais, promovido pela Prefeitura Municipal de Pau dos Ferros e SEMJHAS.
                  Será  uma ótima oportunidade para os que apreciam esse tipo de múcica.
                  A abertura será feita pela orquestra Sinfônica Jovem, comandada pelo Maestro Elton.
          Presenças confirmadas  das bandas de Doutor Severiano, São Miguel e Portalegre.
                   Apareçam!!!

FESTA ANOS 60

                         
                          No dia 04 de dezembro a APAE Pau dos Ferros estará promovendo a festa dos anos 60 no éden clube sob animação da banda Vitrola.com da cidade de Mossoró. Você que anda de saco cheio de forró e gosta de um bom revival essa é a grande chance.
                   As mesas estão a venda na sede da APAE ou com Solange França, que por sinal anda empolgadíssima.
                  Estaremos lá com certeza!!!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O DESFILE DO 7 DE SETEMBRO

                 
                Continuando a sessão nostalgia, retornaremos à máquina do tempo.
                  Quando se proximava o mês de setembro, a cidade era invadida ao amanhecer e ao entardecer pelo som de bumbos, taróis, pratos e cornetas: eram os ensaios para o desfile cívico de 7 de setembro.
                  Obra da ditadura militar, o desfile movimentava os alunos de todas as escolas, um exército de costureiras de nariz empinado aquecia o comércio. Havia uma grande expectativa da população para ver um mundo de fantasias desfilar pelas principais ruas, num país onde reinava a repressão, a tortura e a castração cultural.
              Ninguém queria desfilar com a farda da escola, as pessoas queriam ser D. Pedro, D. Leopoldina, Baliza, Porta-bandeira, nada de simplicidade...
                 E os pais que se atassem...
               Era um espetáculo! As ruas ficavam congestionadas de pessoas em busca do melhor ponto de observação. As fantasias mais elaboradas eram ostentadas em caminhonetes forradas com colchas de veludo e muito, mas muito isopor com letras douradas.
                         Geralmente para abrir o desfile vinham os policias com suas coreografias exageradas, típicas da época, seguidos, das escolas municipas e estaduais.
                  Alguns pelotões eram comuns em todos os desfiles:
O pelotão das profissões, dos enfermeiros e dos cavalos que simulavam o grito do ipiranga. Um detalhe: Quem não desfilasse poderia pegar 03 dias de suspensão. Táááá???? 
                 Após 1985, os desfiles foram abolidos na maior parte do país por serem reminiscências da ditadura militar, mas proporcionaram muitas emoções em quem assistia e mais ainda em quem desfilava.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

NO GINÁSIO COM D. IDELZUITE


             Quando não haviam escolas privadas em Pau dos Ferros, a Escola Estadual "4 de Setembro" era referência em qualidade no alto-oeste, principalmente quando dirigida pela fantástica máquina humana chamada Ildezuite Rêgo Magalhães.
               Graças a mão de ferro de D. Idelzuite e sua equipe, muitos ex alunos chegaram a ser médicos, engenheiros, advogados, professores, entre outras excelentes posições profissionais.
               No Ginásio como chamávamos, ninguém ultrapassava os portões sem faradamento completo. O fato de vir de tênis sem meias, já era motivo suficiente para ser barrado, e não adiantava chorar, a equipe gestora era irredutível.
               Às quintas feiras todos os alunos eram levados à quadra de esportes para cantar o hino nacional, com a mão no peito e tudo. E se por acaso algum engraçadinho se escondesse, era levado para cantar sozinho sob os aolhares de censura da equipe nota 10.
                Lembro-me dos ensaios para o desfile cívico do 7 de setembro. Acordávamos às 4 e meia da manhã para ensaiarmos às 5 e às 7 já estar de volta à sala de aula. E por incrível que pareça nós adorávamos.
                E quem mantinha a ordem? As irmãs Rêgo; Socorro, Tércia e Fátima, além de Arlene. Era o equivalente à tropa de choque.
               Para equilibrar os ânimos, havia a porta da esperança, que atendia pelo nome de Nizária Lopes, sempre tranquila.
              Depois vieram os ventos da democrácia, os alunos ficaram com mais direitos do que os deveres e a escola pública ruiu.
              Tenho muito orgulho de ter estudado no 4 de Setembro e sou muito grato a todos os professores que me ensinaram, sou fã nº 1 de D. Ildezuite. Precisamos de alguém como ela.
              Saudades...


Israel Vianney   

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O GUERREIRO DA LUZ (Paulo Coelho)

                 
               Um guerreiro da luz tem as qualidades de uma rocha.
          Quando está em terreno plano-tudo a  sua volta encontrou harmonia - ele se mantém estável. As pessoas podem construir suas casas em cima do que foi criado, porque a tempestade não será destruidora. 
                 Quando, porém, o colocam em terreno inclinado - e as coisas a sua volta não demonstram equilíbrio ou respeito - ele revela sua força; rola em direção ao inimigo que ameaça a paz. Nestes momentos, o guerreiro é devastador, e ninguém consegue detê-lo.
             Um guerreiro da luz pensa na guera e na paz ao mesmo tempo, e sabe agir de aacordo com as circunstâncias. 
                Um guerreiro da luzque confia demais na sua inteligência acaba por subestimar o poder do adversário.
                 É preciso não esquecer: há momentos em que a força é mais eficaz que a estratégia.
                  Uma tourada dura quinze minutos; o touro aprende rápido que está sendo enganado - e seu próximo passo é partir para cima do toureiro. Quando isto acontece, não há brilho, argumento, inteligência, ou charme que possam evitar a tragédia.
                  Por isso, o guerreiro nunca subestima a força bruta. Quando ela é violenta demais, ele se retira do campo de batalha - até que o inimigo  gaste sua energia.