03

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

PAU DOS FERROS DE OUTROS CARNAVAIS



"Tô me guardando pra quando o carnaval chegar", como ele não chega, vai demorar quase um ano, vou me debruçar sobre a saudade dos antigos carnavais de Pau dos Ferros, época sadia, de muita animação e muito brilho na alma dos foliões de nossa terra. Na foto acima, a baliza, o estandarte do bloco "Os Inocentes", mais querido de Pau dos Ferros na década de 60. As três moças pousantes na foto são Maria de Fátima Reginaldo, Norma e Maria das Graças. Ainda na década de 60, também ganhava destaque "Os Piratas", cuja rainha Zilma Lira, no ano de 1967, está pousando logo abaixo: 



Nesta década, também existiam AS COLOMBINAS, bloco só de mulheres, assim como também existiram na década de 70 "AS GAIVOTAS" e "AS NAMORADINHAS DO CARNAVAL", três blocos só de mulheres... "OS AVENTUREIROS", "OS LISOS", "MALUCOS CACHACEIROS" e "A POMBA" também foram blocos da época dos anos de chumbo, final da década de 60, pegando a década de 70 e 80. Outro bloco da década de 70/80 era "OS SENEGOID", formado por membros e agregados da família Diógenes, tradicional família do município (Senegoid é Diógenes ao contrário):




A BOMBA DA POMBA

Por falar na Pomba, para não deixar ela voar, contarei uma historinha conhecida na cidade... Era o ano de 1977. O carnaval fervilhava pelas vielas da provinciana Pau dos Ferros. Os dois locais em que os bailes ocorriam eram no CCP (Clube Centenário Pauferrense) e no BNB Clube. Um bloco famoso da época levava o nome de -A POMBA-. E, vários jovens participavam da folia de momo buscando sempre o protagonismo com suas presepadas e fantasias. Pois bem... Numa dessas peripécias, talvez sem maldade nenhuma, foi preparado um artifício para que no momento do desfile dos foliões fantasiados saísse fumaça, elemento muito usado nas festas até hoje... No entanto, a tecnologia da época só permitiu que se colocasse pólvora dentro de uma lata metálica, dizem quem foi  nos tempos em que saiu a primeira cerveja em latinha, mas, poderia ser de óleo de cozinha, querosene, tinta ou outro líquido comumente guardado em recipientes desse tipo. Todavia, o negócio deu ruim... O artifício que iria abrilhantar o momento acabou causando um grande transtorno. Explodiu. A lata explodiu. Estilhaços atingiram o grande conglomerado de pessoas e houve corre-corre, confusão, gritaria... Muita gente foi levada ao hospital, com pedaços de metal entranhados em todo o corpo. A polícia foi acionada e alguns valentões coronelistas que fazem justiça com as próprias mãos também quiseram achar e punir os culpados, porém todos se espargiram pelo tempo da mesma forma que a fumaça era para se espargir, ou, melhor dizendo, da maneira que os pedaços de lata voaram. Os culpados não foram elucidados, o crime foi prescrito e vocês fiquem quietos, não contem nada a ninguém, coloquem uma pedra em cima dessas palavras. Por mim, eu estou calado, eu não vou dizer mais é nada.

AS RAINHAS

As festas para a escolha da Rainha de cada bloco eram realizadas 30 dias antes do carnaval, para  ter tempo de preparar tudo e quando chegar no dia, a Rainha desfilar junto com o melhor folião pelas ruas da cidade no chamado Zé Pereira, cortejo carnavalesco tradicional, ao som das marchinhas, das bandas de Uiraúna, Luís Gomes e das charangas em geral. Na foto abaixo, Marta Pontes, Marta da 36, vereadora do município por 2 mandatos e ex-secretária de cultura: 



Marta foi Rainha dos carnavais de 1979 e 1981 e pertencia ao Ki-Bloco. A expressão "Ki" alguma coisa será encontrada em outros blocos posteriormente, era uma locução bastante comum na época, quando alguém dizia, por exemplo "vou pra festa", logo respondiam: "que (ki) festa?" e assim ocorria em diversas ocasiões.


OS BLOCOS

Desde "Os Inocentes e Os Piratas", os blocos sempre buscavam destaque com suas fantasias, as festas ocorriam até 1987, em dois clubes: BNB e CCP, depois passou a ocorrer no famoso Bar das Almas, que logo após se transformaria em Éden Clube. A direção dos clubes e os organizadores dis bailes e festas disputavam as melhores atrações, o melhor acesso e com o fim de chamar a atenção do maior número de foliões, Help Som (banda local) e Banda Feras de Parelhas ganhavam destaque na animação dos bailes. Abaixo, foto de foliões no BNB CLUBE:


Ocorriam também os "Assaltos", nos quais os foliões pediam e recebiam bebidas e comidas, tira-gostos, petiscos etc das pessoas nas ruas e nas residências da cidade, os mais famosos eram nas casas de Zezinho Henrique, Pedro Oséas, Nilsa Batalha, Zeferino Vilaça, Pedro Diógenes, Pipiu Diógenes, Socorro Lopes, Eusébio da 13 de Maio, Ercílio Martins, Chico de Freitas e tantos outros, nessas casas, a fartura era grande e a festança completa.

Lista de blocos:

Malucos cachaceiros
As gaivotas
Remexer
As namoradinhas do carnavaç
Geração 2000
Cachorra da mulesta
Orgasmo
Adrenalina
Os Kafajestes
Prostituintes
Kibloco
Os senegoid
Os lisos
As colombinas
Os bambinos
A Pomba
Os aventureiros
Salafras
Sarrafos
Alcoofobia
Os inocentes
Coisa nossa
Os Bois Tabacos
Os trombadinhas
H-chados
Infielmente sua
Cabeça feita
Os transa boys
Garotas de ninguém
Os alpinistas
Mistura fina
Toque de malícia
K-Sacana
As inocentes
As kannayadas
Loloveyou
Free Cats
Cobras criadas
Timbalada
Colibri.

Deve ter muito mais, quem souber de mais pode dar um grito. E, para resfrescar a mente dos pauferrenses entusiasmados, agora mostraremos uma galeria de fotos com vários blocos da cidade:


Bloco Mistura Fina



                                                                          Ki-Bloco




                                                                      Os Salafras



                           Integrantes do Bloco Remexer com integrantes do bloco "Os Salafras"




Bloco dos Morais (formado por integrantes e agregados da família Morais)




Ki-Xexo



Doidos Foliões



Pelados no Tanque (Primeiro ano dos Bois Tabacos)





Os Bois Tabacos e as Vacas Loucas





Timbalada

A partir do Bloco Ki-Xexo até os Bois Tabacos, foi uma sucessão até chegar ao ápice: Os Bois Tabacos, bloco que perdurou por 10 anos, era o bloco -da minha rua-, os filhos do leiteiro da rua, de seu Zé Souza, colocaram esse nome original, jocoso e bucólico. O Bloco Timbalada brincou de 1997 a 2006. E, por último, talvez o único bloco remanescente em Pau dos Ferros, o "Cachorra da Mulesta", que sobrevive no bairro Riacho do Meio, faz seus desfiles à moda antiga e enche de alegria e irreverência os moradores daquele bairro:



Olha a self aí... fomos do preto-e-branco à self e assim continuaremos, colocando o bloco na rua, desfilando pela avenida, para quando o fevereiro chegar, saudade não matar a gente. Viva!

Por Manoel Cavalcante

Fotos: Evanda Luzia, Nicinha Morais, Valdívia Lopes, Maria Fernandes, Marta Pontes e Valcileide Souza.

2 comentários:

  1. Saudades, muitas saudades mesmo.Acompanhei a época dos Inocentes e Piratas, no Bloco Pipoca, na época não era conhecido por este nome. Hoje sucesso. De pois vim morar em Goiás e só tive notícias quando o meu sobrinho Vanilson veio aqui em Goiânia e comprou o tecido e um estilista desenhou a fantasia para o bloco "OS AVENTUREIROS", não me lembro do anoa e nem como foi a repercussão.
    Sugestão. Poderia algum pauferrense montar um hist´rico de todos estes carnavais? Seria um projeto histórico, pois não tivemos mais carnavais como aqueles e QUANDO TEREMOS?
    Geraldo Lopes de Souza
    Pauferrense Inveterado

    ResponderExcluir
  2. Teve também o bloco Trololó, formado pela família de seu Jackson da tapeçaria.

    ResponderExcluir

As postagens que venham a desrespeitar moralmente ou legalmente a algo ou alguém, serão excluidas.. Para evitar que isso aconteça evite esses tipos de comentários.. Desde já agradecemos..